4 Pré-Requisitos para escolher um Software Imobiliário ideal

4 Pré-Requisitos para escolher um Software Imobiliário ideal

Escolher um software imobiliário para o seu negócio a princípio pode parecer uma tarefa simples, afinal qual é a dificuldade de avaliar a relação custo/benefício das principais plataformas do mercado? Pois uma vez que você entenda quais dos seus problemas cada sistema imobiliário resolve e como você efetivamente pode vender mais imóveis com eles, então fica fácil decidir em qual investir. Bom, isso pelo menos na teoria.

Mas o detalhe é que na prática as coisas são um pouco diferentes, e o que parece óbvio não é tão simples assim. Por exemplo, você precisa de um certo tempo para testar uma ferramenta até descobrir o quão bem ela funciona, se realmente gera resultados e se no final das contas traz o retorno sobre o investimento. Por que é claro, nenhum corretor de imóveis à frente tem esforço, tempo e dinheiro a perder!

Por definição existe uma série de recursos que um software imobiliário precisa ter para ser uma ótima opção, assim como também existe os diferenciais que fazem do mesmo a melhor opção. Contudo no post de hoje vamos tratar dos fatores cruciais para a escolha de um software imobiliário, ou seja, os 4 pré-requisitos para escolher um software imobiliário ideal. Confira.

#1: Tecnologia de Ponta – Cloud Computing e Multiplataforma

Um dos pré-requisitos mais básicos na hora de escolher um software imobiliário é a tecnologia, esta que precisa ser de ponta. Pois imagine você contratar uma plataforma digital imobiliária para depois descobrir que o sistema é lento, instável, limitado e cheio de bugs. Bastante frustrante, não?

Assim, para evitar surpresas desagradáveis o primeiro passo é analisar a parte estrutural do sistema – ou seja, a sua tecnologia. É preciso descobrir, por exemplo, se: o processamento de tarefas é rápido? O funcionamento das aplicações é instável? O banco de dados fica em local protegido e seguro? A disponibilidade é de alto padrão? A usabilidade e a acessibilidade são de alto nível? E o mais importante: o sistema permite acesso a qualquer hora, de qualquer lugar e por qualquer dispositivo?

A tecnologia de ponta que responde essas questões é Cloud Computing com desenvolvimento Multiplataforma. Isto é, a chamada Computação em Nuvem, que roda todo o sistema diretamente de servidores online e sem a necessidade de instalar nada na máquina do usuário, aliada ao desenvolvimento do sistema de modo que funcione em todos os tipos e formatos de aparelhos.

Um software imobiliário que conta com esses recursos já sai na frente na preferência de escolha, pois minimamente garante o oferecimento do que há de melhor em estrutura tecnológica digital.

#2: Integração Total – Tudo-Em-Um e De-Um-Para-Todos

Outro pré-requisito crucial e que ao mesmo tempo é o coração de um software imobiliário é a integração. Com ela é possível gerenciar o desempenho de todo o negócio imobiliário em um só lugar e sem perder tempo com o que não interessa. Por exemplo, você consegue imaginar um software imobiliário que não integra suas principais funções? Seria algo como ter que exportar e importar dados de um lado para o outro o tempo todo, o que não faz o menor sentido!

Basicamente existem duas aplicações para que a integração de um software imobiliário seja considerada como realmente eficiente: a integração “tudo-em-um” e a integração “de-um-para-todos”. No primeiro caso o valor da integração está justamente na possibilidade de operar dados instantaneamente entre todos os módulos, o que só multiplica o poder das ações efetuadas dentro do sistema. E no segundo caso o valor está precisamente em promover estes mesmos dados internos – como imóveis e clientes, por exemplo – para canais externos de modo automatizado, ou seja, com apenas alguns cliques.

Resumindo, no final das contas a integração de um software imobiliário serve para gerar informações estratégicas para o corretor de imóveis tomar as melhores decisões de negócio. Então se esse valor for gerado, automaticamente o pré-requisito está cumprido.

#3: Credibilidade Corporativa – Suporte Técnico e Base de Conhecimento

De que adianta uma empresa ter um software imobiliário incrível, com tecnologia de ponta e integração completa, se no dia a dia de trabalho você não puder contar com um suporte técnico decente ou mesmo com uma base de conhecimento para se auto ajudar? Pois se/quando tiver qualquer problema operacional com o sistema esses detalhes farão absolutamente toda a diferença entre sua satisfação ou insatisfação.

Nesse ponto a credibilidade corporativa de quem desenvolve e oferece a plataforma imobiliária no mercado é extremamente importante, afinal você precisa não só do produto, mas também do serviço agregado à solução. Então aqui vale muito à pena para todo corretor entrar no mérito do que está incluso ou não em cada plano e até mesmo analisar obrigatoriedades e/ou limitações de questões contratuais antes de contratar a plataforma.

No final das contas o que vale é a credibilidade corporativa da empresa – independentemente de seu tamanho. Isto é, se sua proposta de valor é justa e realmente ajuda o corretor de imóveis a turbinar sua carreira, se seu posicionamento de mercado é coerente com o que entrega para os clientes e sobretudo se há uma comunidade de usuários em torno da solução para que se possa trocar ideias, experiências e eventuais dicas.

#4: Custo/Benefício – Retorno Sobre o Investimento e Ativo de Longo Prazo

O que realmente importa ao investir em um software imobiliário no final das contas é a relação/custo benefício, sobretudo o retorno sobre o investimento que se pode obter a cada mês ou mesmo na construção de um ativo de médio/longo prazo.

Deste modo, antes de efetivamente contratar um software imobiliário vale muito a pena avaliar bem o conjunto de benefícios que a plataforma oferece, identificar a maneira e o período médio que outros clientes têm obtido resultado e principalmente estabelecer o que você próprio, corretor de imóveis à frente, precisa para também ter sucesso com a solução escolhida.

E em última instância vale observar que nesse ponto são as próprias empresas é quem oferecerão as informações necessárias para tirar as suas dúvidas. Portanto vale a dica: via de regra as empresas ruins se apressarão em convencê-lo que o produto delas é a melhor solução para você, ao que as empresas boas tirarão todas as suas dúvidas, oferecerão testes gratuitos, suporte etc., para só depois que você constatar que o produto delas é adequado é que então vão querê-lo como cliente.

Afinal, sem uma relação ganha-ganha o negócio não é bom para ninguém, pois para a empresa que oferece o software imobiliário é um custo de aquisição de cliente que não paga a conta, e para o corretor de imóveis que contrata a solução é uma grande frustração e insatisfação.

À frente, corretores!

Este conteúdo lhe foi útil? Então por favor deixe seu comentário abaixo!
Diga-nos: você já conhecia esses 4 pré-requisitos para escolher o software imobiliário ideal? E das empresas que você conhece que desenvolvem software imobiliário, quantas cumprem tais pré-requisitos? Compartilhe sua opinião conosco!

Ebook Plataforma Imobiliária Banner CTA

Sistema Rankim Banner CTA

Share this