Afinal, vale a pena comprar um apartamento na planta?

Afinal, vale a pena comprar um apartamento na planta?

Com a grande valorização que o mercado imobiliário brasileiro experimentou nos últimos anos, muitas pessoas voltaram a enxergar o setor como uma forma interessante de aplicar o seu dinheiro e conseguir bons lucros. Além disso, a crise econômica fortaleceu ainda mais esse quadro, pois o medo acaba fazendo com que maneiras mais eficientes de investimento fiquem ainda mais atraentes.

No entanto, sabemos que os valores envolvidos na aquisição de imóveis são bastante significativos. Nem todo mundo pode, de uma hora para outra, adquirir uma propriedade já consolidada. Por conta disso, uma unidade sendo construída em um novo empreendimento imobiliário pode ser altamente interessante e mais viável para grande parte público.

Afinal, vale a pena comprar um apartamento na planta? Descubra essa e outras respostas sobre o tema, acompanhando o conteúdo que preparamos a seguir. Confira!

As vantagens de comprar um apartamento na planta

Preços mais baixos

A vantagem que mais chama a atenção de quem quer comprar um apartamento na planta é, logicamente, o preço. Eles podem custar, dependendo da região e do empreendimento imobiliário, até 40% menos do que um imóvel já construído. Se você não tem pressa para mudar, certamente essa é a escolha mais econômica.

Além disso, o cliente pode negociar diretamente com a construtora, que costuma ser bem mais flexível e menos exigente do que instituições bancárias tradicionais, especialmente, em tempos onde as vendas estão um pouco baixas. Dependendo de suas necessidades, a empresa pode oferecer descontos, prazos mais extensos ou até outros métodos de pagamento.

Projeto moderno

Outro grande benefício de um apartamento na planta é que ele será entregue de acordo com as necessidades e demandas do consumidor de imóveis moderno. Unidades mais antigas, por melhores que sejam, não foram projetadas para a enorme quantidade de aparelhos eletrônicos que dispomos atualmente. Não é raro vermos propriedades caríssimas que possuem apenas uma tomada por cômodo, por exemplo.

Além da capacidade e da estrutura mais robusta do sistema elétrico, a própria planta é mais voltada para o que temos hoje no mercado. As salas são diagramadas para comportarem os tipos e tamanho das televisões atuais, as cozinhas são feitas para receber eletrodomésticos como micro-ondas e geladeiras modernas e outros itens que não eram comuns ou sequer existiam há alguns anos.

Possibilidade de personalização

Geralmente, um apartamento na planta oferece ao futuro proprietário a chance de deixar os principais detalhes do jeito que ele mais gosta. Isso ocorre, porque as construtoras querem vender o empreendimento e, por essa razão, não hesitam em conceder algumas vantagens para os compradores em potencial.

Além de escolher as cores das paredes ou materiais de acabamento, é possível que o cliente possa opinar até mesmo sobre a disposição dos cômodos, dependendo do tipo de planta. Isso permite, por exemplo, que você abra mão de um quarto para ter uma sala maior e vice-versa, criando o imóvel ideal para você!

Essa possibilidade, além de atraente, pode ser econômica, pois você não precisará investir em uma reforma no futuro para deixar tudo do jeito que gostaria.

Criação de patrimônio

Quando você compra um apartamento na planta, além de ter todos os benefícios de adquirir um imóvel moderno, você também acaba gerando patrimônio e investindo em uma aplicação de retorno garantido em médio e longo prazo. Propriedades simplesmente nunca desvalorizam e são uma escolha certeira para quem quer empregar bem o seu dinheiro.

Ao contrário de unidades já prontas e usadas, você terá menos preocupações com a manutenção. Possivelmente, levará algum tempo para que você precise fazer qualquer tipo de reforma, pois todos os componentes são projetados para que durem por anos ou até décadas. Além de lucrar com uma eventual futura venda, você pode ter uma renda extra, caso decida alugar o seu bem.

As desvantagens de comprar um apartamento na planta

Atrasos nas obras

O maior medo de quem compra um apartamento na pronta é o de não recebê-lo na data acordada com a construtora. Sabemos que atrasos não são incomuns nesse tipo de empreendimento e, como são obras complexas, existe uma margem de erro considerável para a entrega das chaves.

Os contratos permitem um atraso em um limite máximo de 180 dias. Caso essa data seja ultrapassada, o cliente poderá entrar com um processo contra a construtora se valendo do código de defesa do consumidor (CDC). Para evitar esse tipo de problema, vale pesquisar bastante sobre a idoneidade da construtora no mercado e usar a internet para verificar se ela já teve problemas desse tipo no passado.

Decepção com o resultado

Outra questão que não pode ser desconsiderada por quem compra um apartamento na planta é que não será possível ver a propriedade antes de ela estar pronta. Você pode até examinar bem a planta, estudar o projeto ou visitar uma unidade decorada, mas isso certamente não garante que o resultado final será exatamente igual. Você pode simplesmente não se apaixonar pelo imóvel.

Portanto, vale a pena ler atentamente o memorial descritivo e observar as características técnicas do imóvel, como metragem e tipos de acabamento. Além disso, é importante guardar todos os folhetos de propaganda, pois eles podem servir para cobrar a construtora no futuro e até funcionam como prova em caso de processos judiciais contra a empresa.

Arrependimento da compra

Pode parecer brincadeira, mas algumas pessoas compram um apartamento na planta e depois se arrependem antes mesmo da entrega das chaves. A questão é que esse tipo de investimento deixa você “engessado” depois que você assina o contrato, portanto, pense bem antes de fazer uma proposta.

Se você tem possibilidade de ser obrigado a mudar de emprego ou até mesmo de cidade, analise bem sua situação. Vender sua unidade para outra pessoa antes mesmo de recebê-la pode ser um processo um pouco demorado e você pode perder algum dinheiro para fechar essa transação mais rapidamente.

Como vimos, esse tipo de oportunidade pode ser muito interessante, mas requer alguns cuidados e um olhar atento do comprador. E então, descobriu se comprar um apartamento na planta é o negócio ideal para você? Gostou do conteúdo? Então assine nossa newsletter e receba outros artigos como esse em primeira mão!

  • Rodrigo Anselmo

    O preço na planta hoje é mais caro do que um apartamento usado e já mobiliado no mesmo bairro.É só pesquisar.

    • Bom dia Rodrigo, agradecemos por contribuir conosco. Grande abraço!

  • MARCOS CESAR RIVIERA

    “Preços mais baixos
    A vantagem que mais chama a atenção de quem quer comprar um apartamento na planta é, logicamente, o preço. Eles podem custar, dependendo da região e do empreendimento imobiliário, até 40% menos do que um imóvel já construído. Se você não tem pressa para mudar, certamente essa é a escolha mais econômica.”
    Atualmente, é muito melhor comprar imóvel pronto tanto de terceiros como de estoque da construtora. Não sei onde conseguiram essa informação de pagar até 40% menos do que um imóvel pronto. Nos lançamentos o cliente paga de 20 a 30% no período de obras que geralmente são 3 anos e tanto as parcelas quanto o saldo são corrigidos pelo INCC. Basicamente quem compra dessa forma financia a construtora pois após os 3 anos quando for fazer o financiamento praticamente pagará o mesmo do lançamento. Só fazer as contas. Portanto verifique essa informação. E cliente procure sempre um corretor para te explicar os procedimentos. Um abraço e sucesso.

    • Olá Marcos, boa tarde, muito bom!

      Realmente, a maioria das construtoras costumam praticar isso em seus contratos; o saldo devedor do financiamento direto é reajustado pelo IPCA ou IGP-M, que é mais alto que a TR que corrige o saldo devedor de um financiamento bancário. Existem exceções como a aquisição à vista ou contratos com parcela fixa que utilizem outras taxas e índices econômicos, que são raros.

      Já que em termos de valores o processo todo pode custar aproximadamente a mesma coisa, a única vantagem é que o construtor pode ser mais flexível no prazo das parcelas e não exigir uma documentação extensão para liberação do financiamento (avaliação de crédito não criteriosa).

      Futuramente, talvez venhamos a incluir esta informação neste artigo.

      Muito obrigado por sua sugestão, grande abraço!

Share this